Como investir com segurança?

Investir com segurança é o objetivo de muitos investidores. Você sabe como fazer isso? Conheça as vantagens e desvantagens dessa modalidade.

O que significa investir com segurança?

Investir com segurança é uma preocupação fundamental para quem deseja fazer seu dinheiro render, proteger seu patrimônio e atingir metas financeiras. E uma condição básica para isso é fazer escolhas financeiras que busquem minimizar os riscos associados aos investimentos.

Embora nenhum investimento seja totalmente isento de risco, a segurança no contexto de investimento envolve a redução ou controle desses riscos, de modo a preservar e aumentar o valor dos seus ativos financeiros.

Esse tipo de investimento prioriza a proteção do seu capital e a minimização de perdas, em vez de buscar ganhos extremamente elevados. O objetivo neste caso é equilibrar riscos e recompensas de forma que seu patrimônio cresça de maneira constante e sustentável ao longo do tempo.

Investidores mais conservadores tendem a investir seguindo este tipo de orientação. Mas investir com segurança, vai além disso. Existem outras orientações que o investidor precisa conhecer para reduzir seus riscos e obter sucesso financeiro.


O risco vem de não saber o que você está fazendo.” (Warren Buffett)

O que eu preciso saber para investir com segurança?

Investir com segurança envolve vários aspectos que podem ser controlados ou aperfeiçoados pelo investidor. E o conhecimento destes aspectos auxilia no processo de construção de uma carteira de investimentos mais segura.

O primeiro aspecto que deve ser considerado pelo investidor é compreender que os investimentos no mercado financeiro são investimentos de risco. Alguns investimentos tendem a ser mais arriscados, como renda variável, enquanto outros tendem a ser mais seguros. 

Então compreender e avaliar os riscos associados a cada investimento faz parte deste processo. E é justamente por isso que o investidor deve conhecer seu perfil de risco e investir em ativos cujos riscos estejam alinhados com a sua tolerância ao risco. Isso é fundamental de investir com segurança.

Ainda falando em risco, é importante que o investidor que busca segurança evite investimentos muito arriscados, na busca por maiores retornos. Essa estratégia só vale a pena caso o investidor tenha uma compreensão sólida desses riscos e esteja disposto a assumi-los. 

Mobirise Website Builder

Um outro ponto que deve ser considerado é que o investidor precisa ter uma reserva de emergência, que permita manter seu padrão de vida entre seis meses a um ano. 

A reserva de emergência é um recurso frequentemente utilizado por muitos investidores para cobrir despesas inesperadas, evitando que ele tome decisões equivocadas e se desfaça de seus investimentos em momentos desfavoráveis.

Isso ajuda a trazer tranquilidade e evita decisões por impulso no curto prazo.

É importante lembrar que no curto prazo podem ocorrer oscilações no mercado, porém no longo prazo existe uma tendência de que os investimentos se valorizem, como ocorre nas bolsas pelo mundo.

Por isso uma dica para quem quer investir com mais segurança é planejar os investimentos com foco no longo prazo. 

E por fim, talvez a principal dica para quem quer investir com segurança é considerar investir de maneira diversificada. A diversificação, feita da maneira correta, pode reduzir riscos e ao mesmo tempo gerar retornos superiores. Apesar de parecer bom demais para ser verdade, essa estratégia existe e foi responsável por laurear Harry Markowitz com o prêmio Nobel de Economia em 1990.

No caso de investimentos mais conservadores ou mais seguros, existem várias alternativas que podem ser consideradas pelo investidor dependendo do seu perfil, sua tolerância ao risco e objetivos.

Quais são os ativos ou setores mais indicados?

A escolha dos ativos mais indicados para investir com segurança depende de vários fatores, incluindo seu perfil de investidor, seus objetivos financeiros, sua tolerância ao risco e o horizonte de tempo para seus investimentos. No entanto, alguns ativos que geralmente são considerados mais seguros incluem:

  1. Títulos do Governo: Títulos do Tesouro Direto, como Tesouro Selic, Tesouro IPCA+ e Tesouro Prefixado, são geralmente considerados investimentos seguros. Eles são emitidos pelo governo e têm baixo risco de crédito.
  2. Certificados de Depósito Bancário (CDB): Os CDBs são investimentos de renda fixa oferecidos por bancos. Eles costumam ter garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores de até R$ 250.000 por instituição financeira, tornando-os relativamente seguros.
  3. Fundos de Renda Fixa: Fundos de renda fixa investem em uma variedade de títulos de dívida e são gerenciados por profissionais financeiros. Eles são considerados de menor risco em comparação com fundos de ações.
  4. Fundos de Previdência Privada: Fundos de previdência privada podem ser uma opção segura para investimentos de longo prazo, pois geralmente têm benefícios fiscais e opções de investimento diversificadas.
  5. Poupança: A poupança é uma opção de baixo risco e alta liquidez, mas os retornos tendem a ser mais baixos em comparação com outros investimentos. Em função dos baixos retornos, ela acaba sendo mais utilizada para que o investimento não seja corroído pela inflação.
  6. Imóveis: Investir em imóveis, como propriedades residenciais ou comerciais, pode ser uma opção segura a longo prazo, uma vez que o mercado imobiliário tende a ser mais estável. Mas isso depende de vários fatores, como localização, tamanho ou padrão. Uma alternativa é investir em Fundos Imobiliários.
  7. Fundos Imobiliários (FIIs): Os Fundos Imobiliários são uma classe de ativos que podem ser considerados uma opção relativamente segura, mas também têm suas próprias características e riscos a serem considerados. Os FIIs investem em empreendimentos imobiliários, como edifícios comerciais, shoppings, hotéis, galpões industriais, entre outros, sendo que a diversificação é uma das vantagens dos FIIs, pois permitem que investidores tenham exposição ao mercado imobiliário sem precisar comprar propriedades diretamente.
  8. Ouro: O ouro é frequentemente considerado um ativo seguro em momentos de incerteza econômica, pois tende a manter seu valor ao longo do tempo. Por outro lado os ganhos tendem a ser inferiores aos investimentos em bolsa quando o horizonte de investimento é o longo prazo.
  9. Ações de empresas maduras: Investir em ações de empresas de grande porte, já estabelecidas no mercado (muitas vezes referidas como "blue chips") pode ser mais seguro do que investir em ações de empresas menores e mais voláteis. Essas empresas já tem um mercado consolidado, receitas de vendas e fluxo de caixa estáveis e geralmente pagam dividendos.
  10. Investimento em Setores Defensivos: Setores defensivos são áreas da economia que tendem a ser mais resistentes às flutuações econômicas e de mercado, mantendo uma demanda relativamente estável, mesmo em tempos de recessão ou incerteza econômica. Os setores defensivos incluem o setor de Saúde, Consumo Básico, Serviços Públicos (como fornecimento de eletricidade, gás e água), Telecomunicações e Energia (produção e distribuição). São setores de necessidade básica e por isso tendem a sofrer menos em crises.

É importante ressaltar que mesmo investimentos considerados seguros envolvem algum nível de risco. Além disso, a segurança dos investimentos pode variar de acordo com fatores econômicos, políticos e de mercado.

Portanto, é fundamental avaliar cuidadosamente suas opções de investimento, considerar sua própria situação financeira e buscar orientação financeira, se necessário, para tomar decisões informadas e alinhadas com seus objetivos de investimento e tolerância ao risco.



© Copyright 2023 Prime Investing. All Rights Reserved.

Free AI Website Software